domingo, 11 de maio de 2014

domingo, 15 de julho de 2012

CHÁS




ANIS ESTRELADO: 


É uma planta digestiva, diurética e relaxante. Evita a insônia e a fome fora de hora.
Não é recomendado par quem tem gastrite e úlcera péptica.
As crianças não devem utilizar este chá.






CABELO DE MILHO
Também chamado de "estigma de Milho'.
Usado como chá é diurético além de ser rico em nutrientes que ajuda o funcionamento do intestino.
Ajuda a dissolver as gorduras do corpo, eliminando-as pela urina.
É recomendado o consumo do chá ao longo do dia
Pesquisado por fafa




Retirado do site  http://www.mulherdigital.com:

 Como fazer o chá de cabelo de milho:

Ingredientes: 1 e 1/2 colher (sopa) de cabelo de milho e 500 ml de água
                    filtrada.
Preparo: Leve tudo no fogo para ferver. Quando ficar morno, coe e beba.

 Quantidade Recomendada do Chá Diurético

1 xícara (chá) a cada 12 horas (no período de retenção).

 Cuidados

Pessoas com dificuldade de urinar por conta de inflamações na próstata devem evitar esse chá porque pode agravar a dor.

 Como o chá de cabelo de milho funciona?

Elimina o ácido úrico, dissolve areias e cálculos renais, diminui dores, purifica o sangue, diurético, combate infecções de vesícula dos rins e da bexiga, segundo a Faculdade  Unioeste.

Como guardar:

Secar ao sol e após bem seco, guardar dentro de um pote de vidro bem tampado.




sexta-feira, 1 de junho de 2012

Ansiedade / Depressão

Para acabar com a ansiedade que é o início da depressão, devemos primeiramente reconhecer isto, conhecendo nossa mente e nosso corpo. Quando nada está bom, quando temos vontade de chorar e acharmos que tudo está contra nós é o inicio.

O que fazer:

Suco de maracujá batido com as sementes.

Abacaxi também em suco ou em fatias todos os dias.
Ele ajuda os neurônios se ligarem e acabar com a depressão.


terça-feira, 13 de julho de 2010

CHÁS DO INVERNO

O inverno está aí e como prevenir de doenças, principalmente gripe, reumatismo, artrose, etc...
Cada um de nós necessita de um tipo de chá para passar este inverno bem
As crianças poderão tomar chás de camomila, hortelã e erva doce.
Já os adultos chás de gengibre, anis, alecrim e agrião.
E os nossos avós os chás são de cordão de frade e calêndula.
Na maioria desses chás são antiinflamatórios, adstringente.



Camomila
Tem sido usado há muito tempo para curar a malária. Para as crianças é bom para combater os vermes. Quando usado por longo tempo ajuda aliviar as dores musculares, stress, insonia, inflamações das vias urinárias.
Quando a camomila é misturado com a hortelã e mel, ajuda a combater os resfriados e as gripes.
Modo de usar: 5 a 10 gramas em 100 ml de água fervente por mais ou menos 15 minutos. Filtrar e tomar 3 vezes ao dia.
Para as crianças pode-se adoçar com mel ou açucar. s
Contra indicação: O chá de Camomila não poder ser usado por pessoa submetida a radioterapia.

domingo, 11 de abril de 2010

Granola

Muita se fala em Granola e há muitas dúvidads a respeito de sua composição.
Então, depois de pesquisas, aqui vai uma receita que pode ser feita integralmente ou mesmo com a falta d algum ingrediente.
Sua consistencia é de uma paçoca mais sólida.

3 xicaras de aveia em flocos
1 1/2 d farelo de trigo
1 xicara de farelo de arroz
1 xicara de gérmen de trigo
1/2 xicara de farinha de soja
1/2 xicara de fubá
1/2 xicara de farinha d banana ou banana seca triturada
1 xicara de coco ralado seco
1 xicara de castanha que pode ser do Pará, Pecan, zozes, caju) picada
1 xicara de açúcar mascavo
1/2 xicara de sementes (abóbora, melancia, melão e giraddol) tostadas, trituradas e peneiradas
1/2 xicara de gergelim
1/2 xicara de linhaça tostadas e moidas

Misture tudo, leve ao forno e mexa de 5 em 5 minutos durante 15 20 minutos, até o açucar mascavo derreter e incorporar na mistura. Esfrie e acondicione em vidro.

Outra receita de Granola retirada do site http://tudogostoso.uol.com.br


Granola (Receita enviada por Suzana)

Ingredientes
3 copos de flocos integrais de aveia
1 copo de flocos integrais de trigo
1 copo de flocos integrais de centeio
1/2 copo de amêndoas picadas
1/2 copo de nozes
1 copo de açúcar mascarado ou escuro
1/2 copo de germem de trigo
1/2 copo de sementes de sésamo (gergelim)
100 g de coco ralado
1 colher de chá de sal
1 copo de sultanas (passas)
1 copo de fruta seca aos bocadinhos
1/2 copo de água morna com 2 colheres de sopa de mel
1/2 copo de óleo

Modo de Preparo
1.Misture numa vasilha grande todos os ingredientes secos, com exceção do sal, as passas e a fruta seca aos bocadinhos
2.A parte, junte os ingredientes líquidos com o sal e misture aos ingredientes secos, mexendo muito bem, para umedecer
3.Se a mistura estiver um pouco seca pode-se acrescentar mais um pouco de óleo
4.Espalhe a mistura num tabuleiro grande, ou então, divida-a por várias vezes
5.Leve ao forno brando (200º graus) durante 15 a 20 minutos, mexendo cada 5 minutos
6.Até ficar dourado por igual
7.Retire do forno, deixe esfriar, acrescente as passas e a fruta seca
8.Guarde em frascos ou latas bem tapadas
9.Sirva com leite ou iogurte e fruta fresca

Como se vê nas receitas acima, os ingredientes são escolhidos muitas vezes por nós, acompanhando o básico.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

ALIMENTAÇÀO VIVA

Segundo a terapeuta holistica Marina Hetenyi Francini (relatora deste artigo), a alimentação viva é um dos segredos da juventude e vitalidade.
Nosso corpo é composto por células vivas, portanto precisa de alimentos vivos para manter a saúde, o bem estar e a alegria que são as condições naturais.
Em nossa alimentação podemos nutrir-nos ou envenenar-nos, poluir-nos, nas escolhas que fazemos em nossas vidas.
Há alimentos para o corpo físico, e outros para nossa mente, nossos sentidos e nosso espírito, ou seja: respiração, pensamentos, palavras, emoções, relacionamentos, leituras, músicas, cores, etc. Algo que sabemos é que precisamos alimentar-nos para nos mantermos vivos.

O alimento cru contém as enzimas necessárias para ser digerido.

Quando comemos uma maçã crua, aproveitamos as enzimas ativas que promovem a sua fácil digestão. São as mesmas enzimas que provocam a putrefação da fruta (quando não é utilizada). Quando isso acontece com uma fruta caída da árvore sobre o solo, nutrientes orgânicos são devolvidos à Mãe Terra, completando o ciclo vital da fruta.
Em condições favoráveis, é possível que as sementes brotem, dando lugar ao crescimento de uma nova planta.
A situação é diferente se comermos o alimento cozido. Ao serem expostos a uma temperatura superior a 50º C ou a certo tipo de radiação as enzimas se tornaram inativas. Nesse caso nosso corpo precisa fornecer as enzimas digestivas necessárias, valendo-se da reserva de energia vital.
Todo alimento cru precisa ser ingerido antes dos alimentos cozidos, pois sua digestão é mais simples. Saladas e frutas vêm sempre antes de qualquer comida cozida. Tomar suco ou refrigerante na hora da comida provoca fermentação e putrefação no trato digestivo. Quando comemos bastante salada, principalmente folhas, não há necessidade de líquidos na hora da refeição para não diluir os sucos gástricos. Sentimos sede durante as refeições quando não bebemos água suficiente nos intervalos entre as refeições e porque a comida é excessivamente temperada e / ou gordurosa.

SUCOS VERDES

Entre os brotos, destacam-se os grãos que são germinados em terra durante sete ou mais dias, segundo o clima e a altitude do lugar. Trata-se do trigo, cevada, aveia, centeio, milho — todas aquelas sementes que produzem brotos parecidos à humilde grama (monocotiledôneas). São plantas que possuem enorme capacidade reequilibradora e nutriente para o organismo humano por serem alimentos praticamente completos.
Ocupam um lugar muito importante na Alimentação Viva, tanto no aspecto preventivo como no de cura. Podem ser considerados como suplementos multivitamínicos e multiminerais, lembrando que também possuem os aminoácidos essenciais, a clorofila e as enzimas (o trigo verde contém 17 aminoácidos, entre eles os 8 essenciais).
A molécula da clorofila é igual àquela do sangue, com a diferença de que no núcleo da célula de hemoglobina encontra-se ferro, enquanto que no núcleo da célula de clorofila encontra-se magnésio. Quando ingerida, a clorofila vai diretamente ao sangue e seu núcleo transforma-se em ferro, como se efetuasse uma transfusão. Além disso, seu alto teor em oxigênio ativa todas as funções corporais, proporcionando uma ação bactericida completa. Para aproveitar as qualidades “milagrosas”, é preciso extrair o suco da planta com um aparelho tipo moinho de grãos. Quando utilizamos um liquidificador perdemos muito do seu poder energético e nutritivo. O suco é ativo (vivo) durante somente meia hora. Após este tempo o suco oxida, muda de cor e sabor e torna-se tóxico.
A quantidade máxima a tomar de uma vez é de 60 g, que é o limite
metabolizável. No caso de pessoas muito sensíveis, é necessário começar com doses muito pequenas, quer dizer com colheradas. No bebê e animal pequeno, podemos ministrar com conta-gotas. Podemos tomar o suco diariamente ou por épocas. Algumas pessoas não conseguem dormir, se o tomarem à noite. O uso freqüente mantém o organismo livre de parasitas. Além de tomar o suco por via oral, o suco pode ser utilizado como desinfetante e cicatrizante em cortes, queimaduras e feridas, assim como no tratamento local de eczemas, psoríase, fungos, úlceras, gangrenas. É utilizado também na inflamação dos olhos e ouvidos e para aplicação vaginal e retal. É possível aproveitar as propriedades do suco de brotos verdes também em forma de emplastro. As pessoas que fazem uso de argila, podem utilizá-lo no lugar da água para diluir a terra.

As plantas irradiam vitalidade

É importante que a pessoa doente seja responsável pelo crescimento dos seus próprios brotos e plantas verdes, porque receberá também a energia vital das plantas enquanto cuidar delas. Isto é parte fundamental da mesma terapia. A doença representa — de certa maneira e em graus diferentes — uma perda do desejo de viver. O contato com a terra e a vida em germinação é de grande ajuda para restabelecer a conexão profunda com a Vida. É possível observar bons resultados com adultos — e também crianças — depressivos, hiperativos, instáveis emocional e psiquicamente.
Aconselha-se também usar pratos com grama de cereais como
purificadores e energizadores do ambiente — chamados pelo Dr. Edmond Bordeaux-Szekely de “pilhas biogênicas” — principalmente em locais onde há concentração de campos eletromagnéticos que prejudicam a saúde (computador, televisão, etc.). Para esta finalidade as plantas podem ser cultivadas em recipientes menores. Trocamos com plantas novas quando a grama torna-se amarela. Essas Pilhas Biogênicas são de grande ajuda para os animais domésticos que vivem nas cidades. Podemos deixá-las ao seu alcance para que delas façam uso espontaneamente, da mesma forma que usariam os “matos” encontrados na natureza.

Receitas Bebidas

Batida Energética

Esta é a receita básica da Alimentação Viva. Contém os elementos úteis para a desintoxicação do organismo e todos os nutrientes necessários para a regeneração celular.
Quando o objetivo é a recuperação da saúde ou a limpeza do organismo, a quantidade diária por pessoa são 750 a 1000 ml (um copo de liquidificador) dividida em 3, 4 ou mais refeições. Com este alimento é o remédio, é importante procurar tomar a quantidade indicada ou mais.
Não deixe de preparar a batida, mesmo se não tiver todos os
ingredientes.

1. Batemos, com pouco líquido (rejuvelac ou água), até conseguir uma massa homogênea:
1 pedacinho de algum tubérculo (batata doce, mandioca, nabo, inhame, etc.).
1 pequena quantidade de algas molhadas.
½ xícara de sementes germinadas — germes do tamanho da semente.

2. Adicionamos — pouco a pouco — mais líquido junto com os ingredientes:
Folhas verdes em abundância. (Alface, espinafre, folhas de aipo, salsinha, acelga, beterraba, etc.). Brotos de alfafa, girassol, feijão moyashi, azuki ou outros, crescidos até terem folhas.
Um ou dois quiabos tenros.

3. Adicionamos frutas e mais líquido, se for necessário:
Um bom pedaço de mamão. É sempre melhor aproveitar as fruta
locais da estação.(Em outros países, substituem o mamão por pêra,
maçã, pêssego, figo, ameixa, etc) Abacate (opcional).
Outro tipo de fruta (opcional), evitando as frutas cítricas, melancia,
melão e banana.

4. Batemos até obter uma consistência cremosa.
Decoramos com brotos e fruta picada.
Na geladeira a batida se conserva todo um dia.
Podemos variar o sabor, mudando os ingredientes. A Batida Energética fica doce, se adicionarmos mais frutas frescas e / ou frutas secas reidratadas, melado ou mel de abelha.
Será salgada quando usarmos menos frutas, folhas verdes de sabor forte (como coentro, agrião e rúcula) e um pouco de shoyu ou missô.

Cereal
Uma receita para o café da manhã que pode também ser uma sobremesa.
1 xícara de cereais germinados (trigo, aveia, centeio, arroz, cevada, etc.)
½ xícara de frutas secas, deixada previamente de molho (opcional)
1 xícara de frutas frescas
Água ou Rejuvelac, em quantidade suficiente para obter uma consistência espessa.
Batemos as sementes germinadas no liquidificador com apenas um pouco de liquido.Uma vez que os cereais estejam bem moídos, acrescentamos os outros ingredientes e adoçamos, se preciso, com melado ou mel.
Usando mais líquido obtemos um suco.
A mesma receita pode ser preparada com sementes de linhaça. Deixamos a linhaça de molho durante toda uma noite (2 ou 3 colheres de sopa por pessoa) cobrindo com um dedo de água. Usamos no dia seguinte, sem descartar a água, pois a linhaça terá formado uma gelatina.

Rejuvelac

É uma bebida antioxidante, rica em vitaminas do complexo B, vitamina E, vitamina C, proteínas, carboidratos, fosfatos, dextrinas, sacarinas, lactobacilos e aspergillus (bactérias amigas de nosso intestino). Pode ser tomado puro a todo momento. Entretanto, se for adoçado ou batido com frutas, tomamos longe da comida cozida.
Preparamos o rejuvelac com sementes brotadas de trigo, cevada, centeio e aveia. Podemos utilizar somente um tipo de semente ou combiná-las.

1. Procedemos à germinação das sementes.

2. Quando o germe alcança o tamanho da semente:
- adicionamos água: 1 parte de sementes para 2 a 3 partes de água,
- cobrimos com tule e mantemos em lugar fresco e semi-escuro.

3. Passadas 24 horas, revolvemos o liquido com uma colher e provamos o sabor:
a) se o sabor for ruim, jogamos fora a água, mas não as sementes.
Adicionar novamente água ao recipiente;
b) se o sabor for azedo, tudo está bem. Nos dois casos, esperamos mais 24 horas.
4. Quando o Rejuvelac está pronto, passamos o líquido por um coador.
Podemos conservar vários dias se refrigerado.
5. Colocamos de novo água no recipiente com as mesmas sementes. A segunda colheita, estará pronta em 24 horas, a terceira em 48. O tempo pode variar segundo o clima. Chega um momento em que as sementes não têm mais nutrientes e podem ser usadas como adubo vegetal.

Leite de gergelim

É uma fonte maravilhosa de cálcio e fósforo. Podemos combinar com fruta e / ou mel ou melado e nesse caso tomar longe da comida cozida.
Quando indispensável, esquentamos em banho Maria.
1. Deixamos o gergelim de molho por 4 a 8 horas. Para obter 1 litro de leite, usamos 200g de sementes secas.
2. Coamos e deixamos as sementes no coador tampado durante 1 hora para dar inicio ao processo de germinação. Não deixamos por mais tempo porque oxida e fica amargo.
3. Batemos com o dobro de água no liquidificador.
4. Passamos por um pano, espremendo com força para extrair todo o leite.
Tomamos imediatamente, porque oxida muito rapidamente
Nota: Em caso de preparar o leite várias vezes ao dia, podemos deixar de molho de uma vez todo o gergelim que vai ser usado. As sementes coadas serão conservadas na geladeira num recipiente com tampa e batemos somente a quantidade necessária.

Também podemos obter leite de amêndoas, de girassol descascado, de castanhas do Pará, etc. Procedemos da mesma maneira. Para tirar a pele das amêndoas,deixamos de molho na véspera ou passamos por água fervendo durante 30 segundos (não mais de 30 para não perder as enzimas). Ao bater com menos água, obtemos creme em vez de leite.
Para obter leite de arroz, deixamos o arroz integral de molho durante 2 ou 3 dias, trocando a água de manhã e da noite. Batemos no liquidificador e coamos.

Patês

Os patês podem ser servidos com cenoura e aipo cortados em tiras, com couve-flor e brócolis cortados em arvorezinhas. Também podem ser usados como recheio para tomates, pimentões e pepinos e para charutos de folhas de alface. Decoramos com brotos de alfafa.

Homus (Patê de grão-de- bico)

Uma xícara de grão-de-bico germinado ½ xícara de gergelim deixado de molho ou ½ xícara de abacate,Cebolinha — a gosto
Suco de um ou dois limões, a gosto
Algumas folhas de hortelã ou coentro, ou salsinha, ou manjericão, a gosto
Sal marinho ou shoyu
Uma cebola media ou um dente de alho, opcional
Batemos tudo junto no processador ou no liquidificador, com um pouco de Rejuvelac ou água.


Patê Tropical

1 xícara de broto de amendoim
1 xícara de gergelim deixado de molho
1 mandioquinha pequena
1 inhame pequeno
2 ou 3 cebolinhas verdes
1 dente de alho
Suco de limão – a gosto
Sal marinho
Azeite
Ervas finas
Batemos tudo no processador.

Patê Mediterrâneo

1 xícara de sementes de girassol sem casca deixadas de molho
½ xícara de trigo germinado
½ xícara de centeio germinado
½ pimentão vermelho
1 quiabo pequeno
1 talo de salsão
2 ou 3 cebolinhas verdes
Um punhado de azeitonas verdes (retirar os caroços)
3 tomates secos
1 colher de chá de tomilho
Vinagre de maçã a gosto
Batemos tudo junto no processador.

Saladas

Salada de berinjela com brotos
1 berinjela média
1 xícara de brotos de feijão (tipo japonês)
Shoyu - a gosto
Suco de 1 ou 2 limões - a gosto
1 colher pequena de gengibre ralado
1 colher de semente de coentro.
Cortamos a berinjela em tiras bem finas, com 3 a 4 cm de comprimento.
Acrescentamos o shoyu e o limão e apertamos com o punho fechado para reduzir o volume. Adicionamos o gengibre, as sementes de coentro e os brotos de feijão. Deixamos repousar por algumas horas.

Salada de chuchu cru – ou gilô

1 chuchu
Sal marinho ou shoyu
Suco de 1 ou 2 limões
Semente de girassol sem casca
1 colher de sopa de azeite de oliva
Descascamos o chuchu e cortar - com fatiador – em fatias quanto mais finas possíveis. Acrescentamos o suco de limão, o sal e as sementes de girassol e deixamos repousar durante 2 ou 3 horas. Antes de servir acrescentamos o azeite.

Salada de couve- flor crua ao curry, com nozes

Couve-flor bem fresca e firme
Iogurte natural
Sal marinho e/ou shoyu
Curry indiano
Nozes – ou caju – ou macadamias
1 manga (ou pêssego ou damasco seco)
Azeite de oliva
Ralamos a couve-flor crua — ou cortamos finamente com uma faca muito afiada ou fatiador. Acrescentamos as nozes picadas bem finas, a manga cortada em quadradinhos e os outros ingredientes ao gosto. Deixamos repousar durante 2 ou 3 horas na geladeira,. Servimos com agrião.

Salada de pepino com iogurte e hortelã

Pepino
Iogurte natural
Hortelã
Sal marinho ou shoyu
Azeite de oliva
Lavamos bem o pepino e ralamos com toda a casca, se for japonês,.Retiramos um pouco da casca se for outro tipo de pepino. acrescentamos o sal e o azeite a gosto, o iogurte e a hortelã bem
picadinha. Deixamos repousar na geladeira durante 1 ou 2 horas. Quem gostar pode acrescentar alho espremido.

Salada do mediterrâneo

Tomate
Pepino
Pimentão amarelo e vermelho
Sal marinho
Azeite
Talos de salsão
Cebola, (de preferência roxa)
Azeitonas pretas ou alcaparras
Manjericão, mangerona, orégano, tomilho — de preferência frescos Cortamos todos os ingredientes em pedaços e acrescentamos os condimentos.

Salada oriental

Abóbora kambotiã
Cebolinha verde
Gengibre
Iogurte
Curry
Azeite
Sal marinho e / ou shoyu
Ralamos a abóbora e o gengibre; cortamos a cebolinha bem fina.
Misturamos todos os ingredientes.

TODOS OS DIAS, PRECISAMOS COMER UMA SALADA DE FOLHAS VERDES

Devem ser pelo menos 3 tipos diferentes, é muito importante variar os sabores e comer também um pouco das mais fortes ou amargas. Quando são misturadas com outras mais doces, fica mais fácil. Lavamos bem, cortamos em pedaços (melhor se com as mãos em lugar de faca) agrião, folhas de beterraba, alface, almeirão, couve manteiga, escarola, rúcula, etc. Podemos acrescentar salsinha, coentro, manjericão, hortelã, etc.

Cada dia, escolhemos alguns dos seguintes ingredientes crus para completar a salada (a melhor maneira de escolher é pela cor):

Ralados: abóbora, abobrinha, batata doce, beterraba, cará, cenoura, inhame, mandioquinha, nabo, pepino, rabanete, etc.

Cortados finos: abobrinha italiana, brócoli, cebolinha, cenoura, couveflor, erva doce, milho verde, nabo, pepino, pimentão, rabanete, salsão, etc.

Cortados em pedaços maiores: pepino, pimentão, tomate, etc.